• pt
Interior da automotora
Carlos Mesquita: “Metro-Bus complementa o programa de reforma do Governo no sector dos transportes públicos”
12/10/2017
Entrega simbólica de livros da Odebrecht à Universidade Politécnica
Odebrecht apoia bibliotecas de instituições do ensino superior
15/10/2017

A partir do Porto da Beira: Cornelder assume papel crescente no manuseamento de fertilizantes para os países da região

Jan Laurens de Vries Adminstrador Delegado da Cornelder de Moçambique1

O papel do Porto da Beira na importação de fertilizantes na região foi um dos temas de destaque na “Conferência Internacional sobre o Agronegócio e Logística de Fertilizantes na Região Oriental e Austral de África” que teve lugar em Maputo, de 9 a 11 de Outubro último. O evento contou com a participação de 300 delegados oriundos de vários quadrantes do globo.

Um dos objectivos do encontro, de acordo com Carlos Zandamela, presidente da Associação Moçambicana para a Promoção do Uso de Fertilizantes, foi a concertação para o aumento do uso de fertilizantes pelos agricultores no continente africano.

Relativamente a Moçambique, que consome cerca de 200 mil toneladas por ano, Carlos Zandamela acredita que “o encontro ajudou na harmonização das intervenções e políticas de abordagem em toda a cadeia de valor dos fertilizantes, visando o aumento da produção e produtividade, e, acima de tudo, da qualidade dos produtos”.

O objectivo da Cornelder de Moçambique (CdM), nesta conferência consistiu na exposição das vantagens comparativas e competitivas do Porto da Beira, do Corredor da Beira na logística dos fertilizantes para os países do “hinterland” (Zimbabwe, Zâmbia, Malawi e República Democrática do Congo). Dada a sua localização geo-estratégica, uma sólida experiência no manuseamento do fertilizantes, a CdM pretende consolidar a posição de principal ponto de entrada de fertilizantes para Moçambique e países da região.

Para além da experiência no manuseamento deste tipo de produto, a sua excelente localização e acesso aos países do “hinterland”, o Porto da Beira apresenta inúmeras vantagens que podem influenciar na redução dos custos de importação para os clientes que demandam este porto.

A título de exemplo, de acordo com Jan Laurens de Vries, administrador delegado da Cornelder de Moçambique, concessionária do Porto da Beira, incentiva a comunidade portuária a incrementar a capacidade de armazenagem, de ensacamento e outros serviços complementares à actividade principal do Porto. Actualmente, para além da capacidade de armazenagem do Porto existem nas zonas adjacentes vários armazéns alfandegários.

Uma das empresas de logística que operam naquela cidade é a Beira Logistics Terminals, cujo director-geral, Jonathan Middleton, reconheceu a importância daquele porto no desenvolvimento do País e da região.

“Posicionámos-nos na Beira, devido à sua localização estratégica, que está por detrás do aumento da demanda pelos serviços de logística, como é o caso das operações de descarga, armazenagem, transporte, entre outros”, referiu Jonathan Middleton.

Actualmente, os fertilizantes constam dos principais produtos de importação a nível do Porto da Beira, que manuseia entre 400 e 600 mil toneladas por ano, destinados principalmente ao Zimbabwè, Zâmbia e Malawi.

Com o incremento de eficiência de toda cadeia de logística, a Cornelder de Moçambique manuseou até Setembro do corrente ano um total de de 592.000 toneladas de fertilizantes, prevendo-se que até ao final de 2017 sejam manuseados cerca de 800.000 toneladas.

 

Jan Laurens de Vries Adminstrador Delegado da Cornelder de Moçambique1

Jan Laurens de Vries Adminstrador Delegado da Cornelder de Moçambique

 

Carlos Zandamela Presidente da AMOFERT

Carlos Zandamela Presidente da AMOFERT

 

Jonathan Middleton director geral da BLT

Jonathan Middleton director geral da BLT

 

Jan Laurens de Vries Adminstrador Delegado da Cornelder de Moçambique

Jan Laurens de Vries Adminstrador Delegado da Cornelder de Moçambique

 

Participantes da conferência

Participantes da conferência