• pt
Joy of Jazz em Sandton: Standard Bank vai oferecer viagens
18/08/2017
ministerios dos transportes e comunicacao
Ministério dos Transportes e Comunicações reúne-se em Conselho Coordenador
22/08/2017

Adriano Maleiane: “Empresas participadas pelo Estado devem ser competitivas”

Mesa que presidiu o encontro do IGEPE

O ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, instou aos gestores das empresas e instituições públicas e participadas pelo Estado a aprimorarem os mecanismos de implementação das reformas necessárias para o aumento da produção e da produtividade.

De acordo com Adriano Maleiane, os gestores devem, igualmente, intensificar as acções de harmonização das ferramentas para o fortalecimento e consolidação dos mecanismos de supervisão e controlo das empresas, visando a redução do risco fiscal e o aumento do lucro.
“É importante que as empresas e instituições públicas e participadas pelo Estado sejam competitivas, o que passa por apostar na qualidade dos bens e serviços que oferecem ao consumidor e investir em projectos rentáveis”, considerou o ministro, que falava na segunda-feira, 21 de Agosto, na abertura da reunião de planificação do Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE).

O encontro, que tinha como objectivo aprimorar os mecanismos de planificação, prestação de contas e de responsabilização no sector empresarial do Estado, visando conferir maior transparência, bem como o aumento das receitas, acontece numa altura em que os indicadores macroeconómicos da economia dão sinais encorajadores, com uma taxa de crescimento na ordem dos 3% no primeiro semestre deste ano, desaceleração da taxa de inflação e a estabilidade cambial.

Para Adriano Maleiane, esta conjuntura deve ser assumida como uma oportunidade para o sector empresarial do Estado fazer valer a sua capacidade criativa, procurando estabelecer melhores parcerias de negócios, bem como identificar projectos que possam, rapidamente, satisfazer as necessidades do mercado.

Neste sentido, “cabe ao IGEPE a responsabilidade de monitorar, aconselhar e emitir recomendações visando o cumprimento dos objectivos de cada empresa, materializando, deste modo, os objectivos da terceira prioridade da nossa governação, que está ligada à criação do emprego, produção, produtividade e competitividade”.

Por seu turno, Raimundo Matule, administrador executivo do IGEPE e porta-voz do encontro, explicou que o mesmo está aliado à implementação do terceiro objectivo do IGEPE para o presente quinquénio, atinente ao reforço dos mecanismos de supervisão e controlo.
Para além deste objectivo, o IGEPE definiu como prioridades para este quinquénio a reestruturação das empresas, a revisão do quadro legal do sector empresarial do Estado e o aumento das receitas de capital.

Relativamente à reestruturação das empresas, Raimundo Matule referiu-se, por exemplo, ao processo de fusão das empresas Telecomunicações de Moçambique (TDM) e Moçambique Celular (mcel), que está a ser dirigido por um conselho de administração composto por três membros.

Este conselho de administração, nomeado para um mandato de 18 meses, deverá conduzir o processo de fusão do ponto de vista legal, económico-financeiro e tecnológico para servir um único propósito.

No fim do processo, segundo Raimundo Matule, “contamos fazer a abertura de capital, através da busca de um parceiro estratégico que possa ajudar a desenvolver a nova empresa, fruto da fusão da TDM e da mcel”.

 

Mesa que presidiu o encontro do IGEPE

Mesa que presidiu o encontro do IGEPE

 

Adriano Maleiane Ministro da Economia e Finanças

Adriano Maleiane Ministro da Economia e Finanças

 

Raimundo Matule Porta voz do encontro

Raimundo Matule Porta voz do encontro

 

Participantes

Participantes

 

Foto de família

Foto de família