• pt
Ministério do Trabalho Emprego e Segurança Social
Projectado 1.7 milhão de empregos em cinco anos
01/02/2018
Entrega do cheque ao representante da União Desportiva de Songo
Standard Bank premeia campeões do Moçambola
03/02/2018

Ano lectivo 2018: Província de Maputo perspectiva 500 mil alunos

ministerios dos transportes e comunicacao

A província de Maputo perspectiva movimentar um universo de 499.047 alunos, de todos os níveis e áreas de ensino, distribuídos em 865 estabelecimentos de ensino no ano lectivo 2018, cuja abertura solene teve lugar sexta-feira, 2 de Fevereiro, em todo o território nacional.

 

Deste universo, 299.935 vão para o ensino primário do 1º grau, 94.070 para o 2º grau, 71.829 para o 1º ciclo do secundário e 16.965 para o secundário do 2º ciclo. Os diversos subsistemas de ensino em conjunto irão acolher 16.248 alunos, perfazendo, assim, um total de 499.047 discentes.

 

Ao nível da província de Maputo, a cerimónia de abertura do ano lectivo teve lugar na Escola Primária de Ngolhosa, posto administrativo de Pessene, distrito da Moamba e foi dirigida pela ministra do Trabalho, Emprego e Segurança Social, Vitória Diogo, sob o lema: “Por uma educação inclusiva, competitiva e de qualidade”.

 

Na ocasião, a governante apelou aos actores do sector da educação para que fizessem uma reflexão e balanço, de forma objectiva e imparcial, sobre os progressos, desafios e perspetivas e acima de tudo as ilações, pois “só, desta forma, irão encarar o presente ano lectivo, com realismo”.

 

Segundo Vitória Diogo, o Governo irá continuar a trabalhar, com os conselhos de escola, professores e parceiros para que 2018 seja melhor do que 2017 ao nível deste sector, salvaguardando sempre a melhoria da qualidade de ensino: “Aliás, o lema que nos vai guiar é elucidativo, porquanto apela para uma educação de qualidade, visando o desenvolvimento sustentável do nosso País em geral e da província em particular”, disse a ministra.

 

Ela fez saber que o Governo, na sua actuação, prioriza o alargamento do acesso à educação, através da ampliação da rede escolar e introdução de novas modalidades de ensino. Assim do universo de 865 estabelecimentos de ensino de todos os níveis, 476 são do ensino primário do 1º grau, 331 do ensino primário completo, 37 do ensino secundário do 1º ciclo e 21 do secundário do 2º ciclo, entre outros estabelecimentos dos subsistemas.

 

Para leccionar os diferentes subsistemas de ensino, a província contará com um universo de 9.836 professores contra 9.533 de 2017 o que representa um crescimento na ordem de três por cento quando comparado com o ano anterior.

A directora provincial da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, intervindo em representação do Governador, destacou os números alcançados pela província que, segundo ela, ilustram “claramente que a aposta do Executivo no sector da educação tem a ver com o alargamento do acesso e expansão da rede escolar, como estratégia de combate à pobreza e ao analfabetismo na província”.

Por seu turno, o embaixador da Itália em Moçambique, Marco Conticelli, referiu que educação significa desenvolvimento humano, trabalho e futuro. Por isso, aquele país apoiou na reabilitação e ampliação da escola primária de Ngolhosa, com a construção de um bloco com quatro salas de aulas.

 

“Estamos cientes de que a educação é uma das formas significativas de promoção dos direitos fundamentais da criança e que para tal é importante investir na formação dos alunos, professores e gestores de escola”, frisou Conticelli.

 

ministerios dos transportes e comunicacao