• pt
Odebrecht
Incidente no aeroporto de Nacala provocado por fuga de água na tubagem
30/03/2016
Mesa que presidiu o encontro entre a CTA e a delegação empresarial da Tailândia
18 investidores da Tailândia em busca de negócios em Moçambique
31/03/2016

Correios, INATTER e FTC: Ministro dos Transportes e Comunicações confere posse a novos dirigentes

Foto em família com o Ministro e os empossados

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, conferiu posse, na última quarta-feira, 30 de Março, a três novos quadros de instituições e empresas sob tutela do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC). 

Trata-se de Manuel Armando Santana, que passa a desempenhar as funções de administrador da empresa Correios de Moçambique, Fidélio André Manuel, como director dos Serviços de Administração e Finanças do Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER) e Edgar Rodrigues Gemo, empossado como director dos Serviços de Administração e Finanças do Fundo de Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações (FTC). 

Discursando na cerimónia de investidura, o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, desejou que as actividades dos empossados sejam coroadas de êxito, mas que todavia aceitem sacríficos, visto que os desafios que têm pela frente são enormes e de vária natureza, desde de ordem profissional, institucional até do mercado. 

O ministro do pelouro relembrou aos empossados que “a situação em que algumas das nossas instituições e empresas se encontram, requer trabalho redobrado da nossa parte”, exigindo, dos mesmos, que tragam valor acrescentado à dinâmica existente nas equipas de gestão das instituições para onde vão. 

Na mesma abordagem, Carlos Mesquita exigiu resultados aos novos quadros, sabido que “os serviços que devemos prestar são de impacto directo para as populações, pelo que depositamos a nossa esperança em vocês”. 

Falando dos desafios de cada um dos sectores, o ministro dos Transportes e Comunicações reconheceu que a empresa Correios de Moçambique vive, actualmente, um momento bastante delicado, sobretudo porque, algumas iniciativas que haviam sido tomadas para a sua rentabilização, foram interrompidas devido à situação de instabilidade que se vive na zona Centro do país, dando como exemplo o serviço PostBus, um veículo que garantia receitas para esta empresa. 

Por isso, recomendou o governante, “é preciso que sejam identificadas novas iniciativas de negócio, para que a situação não fique ainda mais complicada”, acreditando que, com o esforço de todos os membros do Conselho de Administração e dos trabalhadores desta empresa, “saberão dar a volta no devido momento, sempre com o apoio incondicional do Governo de Moçambique”. 

Ao INATTER, Carlos Mesquita destacou desafios a nível institucional, referindo que “é preciso que haja comunicação e fluidez no processamento dos serviços prestados por esta instituição, bem como na coordenação com os vários pontos que existem ao longo do País para a recolha de informação, de dados e processamento de forma coerente”. 

Igualmente, Carlos Mesquita instou aos quadros do INATTER para que observem, com muita profundidade, o tráfego rodoviário na perspectiva da redução drástica dos índices de sinistralidade nas estradas moçambicanas. 

A nível do FTC, o ministro desafiou a criação de condições para que o sistema de transporte e comunicações flua normalmente, dentro das obrigações deste instituto. “Tem sido prática que, quando se fala do FTC, muitos olham para o aspecto dos transportes públicos urbanos. No entanto, as funções deste organismo extravasam essa vertente, pelo que é preciso a devida cautela no planeamento e aplicação dos recursos, que são as receitas que temos estado a receber de várias formas”, concluiu o ministro.

 

Foto em família com o Ministro e os empossados

Foto em família com o Ministro e os empossados

 

Carlos Mesquita Ministro dos Transportes e Comunicações

Carlos Mesquita Ministro dos Transportes e Comunicações

Assinatura do auto de posse

Assinatura do auto de posse

 

Momento da entrega do auto de posse

Momento da entrega do auto de posse

 

Leitura do auto de posse

Leitura do auto de posse

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, conferiu posse, na última quarta-feira, 30 de Março, a três novos quadros de instituições e empresas sob tutela do Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC). 
Trata-se de Manuel Armando Santana, que passa a desempenhar as funções de administrador da empresa Correios de
Moçambique, Fidélio André Manuel, como director dos Serviços de Administração e Finanças do Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER) e Edgar Rodrigues Gemo, empossado como director dos Serviços de Administração e Finanças do Fundo de Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações (FTC). 
Discursando na cerimónia de investidura, o ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, desejou que as actividades dos empossados sejam coroadas de êxito, mas que todavia aceitem sacríficos, visto que os desafios que têm pela frente são enormes e de vária natureza, desde de ordem profissional, institucional até do mercado. 
O ministro do pelouro relembrou aos empossados que “a situação em que algumas das nossas instituições e empresas se encontram, requer trabalho redobrado da nossa parte”, exigindo, dos mesmos, que tragam valor acrescentado à dinâmica existente nas equipas de gestão das instituições para onde vão. 
Na mesma abordagem, Carlos Mesquita exigiu resultados aos novos quadros, sabido que “os serviços que devemos prestar são de impacto directo para as populações, pelo que depositamos a nossa esperança em vocês”. 
Falando dos desafios de cada um dos sectores, o ministro dos Transportes e Comunicações reconheceu que a empresa Correios de Moçambique vive, actualmente, um momento bastante delicado, sobretudo porque, algumas iniciativas que haviam sido tomadas para a sua rentabilização, foram interrompidas devido à situação de instabilidade que se vive na zona Centro do país, dando como exemplo o serviço PostBus, um veículo que garantia receitas para esta empresa. 
Por isso, recomendou o governante, “é preciso que sejam identificadas novas iniciativas de negócio, para que a situação não fique ainda mais complicada”, acreditando que, com o esforço de todos os membros do Conselho de Administração e dos trabalhadores desta empresa, “saberão dar a volta no devido momento, sempre com o apoio incondicional do Governo de Moçambique”. 
Ao INATTER, Carlos Mesquita destacou desafios a nível institucional, referindo que “é preciso que haja comunicação e fluidez no processamento dos serviços prestados por esta instituição, bem como na coordenação com os vários pontos que existem ao longo do País para a recolha de informação, de dados e processamento de forma coerente”. 
Igualmente, Carlos Mesquita instou aos quadros do INATTER para que observem, com muita profundidade, o tráfego rodoviário na perspectiva da redução drástica dos índices de sinistralidade nas estradas moçambicanas. 
A nível do FTC, o ministro desafiou a criação de condições para que o sistema de transporte e comunicações flua normalmente, dentro das obrigações deste instituto. “Tem sido prática que, quando se fala do FTC, muitos olham para o aspecto dos transportes públicos urbanos. No entanto, as funções deste organismo extravasam essa vertente, pelo que é preciso a devida cautela no planeamento e aplicação dos recursos, que são as receitas que temos estado a receber de várias formas”, concluiu o ministro.