Agostinho Vuma Vice Presidente da CTA
Empresários turcos promovem oportunidades de negócios em Moçambique
28/04/2016
mcel
No total já serão 3 milhões: Operadoras móveis vão bloquear na segunda-feira mais 1 milhão de subscritores não registados
29/04/2016
Agostinho Vuma Vice Presidente da CTA
Empresários turcos promovem oportunidades de negócios em Moçambique
28/04/2016
mcel
No total já serão 3 milhões: Operadoras móveis vão bloquear na segunda-feira mais 1 milhão de subscritores não registados
29/04/2016

Crescimento de 34% em resultados operacionais: CFM atingiram 2.7 mil milhões de meticais em 2015

Mesa que presidiu o XX Conselho de Directores da empresa CFM

‎‎O Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita insta a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique a reposicionar-se no mercado, por forma a fazer face à conjuntura mundial e regional, caracterizada pelo abrandamento económico e a consequente redução dos preços das mercadorias manuseadas nas infra-estruturas ferro-portuárias do País.

Falando quinta-feira, 28 de Abril, na abertura do XX Conselho de Directores da empresa CFM, Mesquita apontou a competitividade e eficiência das operações ferro-portuárias do País, como a solução para transformar a crise em oportunidade. “É nossa visão que o ramo ferro-portuário moçambicano precisa de se reposicionar, olhando para a competitividade e eficiência como o maior desafio, se tivermos em linha de conta que as nossas infra-estruturas actuam em complementaridade com outras opções regionais que também buscam melhores soluções logísticas”, disse Mesquita.

Apesar do sombrio cenário da economia internacional, a empresa CFM registou, no ano passado, um crescimento de 34% em termos de resultados operacionais, tendo atingido cerca de 2.7 mil milhões de meticais, contra 2.0 mil milhões em 2014. Na componente do tráfego ferroviário de carga e manuseamento portuário, os resultados apontam para um decréscimo na ordem de 6% e 7%, respectivamente, facto que se deveu, essencialmente, ao fraco crescimento da economia mundial e à depreciação da moeda nacional, o Metical, face ao Dólar norte-americano. O tráfego ferroviário de carga atingiu cerca de 13 milhões de toneladas e o manuseamento portuário 32 milhões de toneladas métricas, contra 14 e 34 milhões registados em 2014, respectivamente.

Num outro desenvolvimento, Mesquita orientou os gestores da empresa a prosseguir com a implementação célere dos projectos ferro-portuários de grande impacto, programados para este ano, como a conclusão da reabilitação e entrada em funcionamento da linha férrea Cuamba-Lichinga; arranque de operações do Porto de Nacala-à-velha; início da segunda fase das obras de reabilitação e modernização do Porto de Nacala; conclusão da ampliação da linha férrea de Sena, dos actuais 6.5 milhões toneladas/ano, para 20 milhões; conclusão do estudo para a reabilitação da linha de Machipanda; conclusão da construção, de raiz, da Ponte Ferroviária de Boane; arranque da Dragagem do Canal de Acesso ao Porto de Maputo; conclusão do Estudo para a reabilitação da linha férrea de Ressano Garcia, entre outros projectos.

Por seu turno, Victor Gomes, presidente do Conselho de Administração da empresa CFM referiu que o ano de 2016 continuará a impor muitos desafios, muitos dos quais ligados à conjuntura económica nacional, regional e internacional, o que exige maior destreza na identificação de soluções.

Assim, algumas das medidas passam por, a nível interno, “adoptar uma política de maior austeridade, procurar dar prioridade aos investimentos que poderão produzir resultados a curto prazo e apostar no transporte de combustível e carga contentorizada, que consideramos carga estratégica, bem como desencadear o processo de marketing e procura de oportunidades de transporte de outras cargas alternativas junto dos nossos parceiros de negócio na região”.

Na componente externa, “é necessário tornar o nosso sistema ferro-portuário mais competitivo, revendo e ajustando os custos extra-operacionais, nomeadamente as taxas sobre os combustíveis, custos com inspecções não intrusivas e cauções sobre mercadorias em trânsito, entre outras medidas”, disse o PCA da empresa CFM.

 

Mesa que presidiu o XX Conselho de Directores da empresa CFM

Mesa que presidiu o XX Conselho de Directores da empresa CFM

 

Participantes no XX Conselho de Directores da empresa CFM

Participantes no XX Conselho de Directores da empresa CFM

 

Carlos Mesquita Ministro dos Transportes e Comunicações

Carlos Mesquita Ministro dos Transportes e Comunicações

 

Victor Pedro Gomes PCA da empresa CFM

Victor Pedro Gomes PCA da empresa CFM

 

Foto em família

Foto em família