• pt
Agostinho Mondlane - Ministro do Mar Aguas Interiores e Pescas visitando um dos barcos
EMATUM apresenta oportunidades ao empresariado nacional
10/04/2015
Chuma Nwokocha novo -Administrador Delegado do Standard Bank
1.578 mil milhões de meticais: Lucros do Standard Bank crescem 27 por cento
15/04/2015

CTA preocupada com baixo nível de exportações para o Brasil

Participantes no seminário sobre oportunidades de negócio Brasil-Moçambique

A Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) mostrou-se preocupada com o baixo volume de exportações para o Brasil, que actualmente não ultrapassa a barreira de 1%, o que revela que as empresas nacionais têm apostado pouco na sua internacionalização.
Para reverter este cenário, pouco favorável, de acordo com Agostinho Vuma, vice- presidente da CTA, que falava durante a cerimónia de abertura do Seminário sobre Oportunidades de Negócios entre Brasil e Moçambique, havido esta segunda-feira, 13 de Abril, na cidade de Maputo, as empresas nacionais devem apostar na sua capacidade técnica e financeira, para competir em pé de igualdade com as estrangeiras que investem no País.
Ainda de acordo com Agostinho Vuma, é necessário que os investimentos que têm sido feitos no País beneficiem, em primeiro plano, ao empresariado nacional, o que pode ser feito através de parcerias, consórcios e transferência de tecnologias, pois só assim é que serão criados mais postos de trabalho.
Sobre o seminário, organizado pela Câmara de Comércio, Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique, o vice-presidente da CTA considerou que o mesmo constitui uma “excelente oportunidade para a troca de experiências entre empresários dos dois países, cujas relações comerciais têm vindo a crescer nos últimos tempos”.
“Moçambique tem um manancial de potencialidades económicas, com destaque para a recente descoberta e início de exploração de recursos naturais, o que o torna um destino de elevadíssimos volumes de investimentos. Já o Brasil possui uma vasta experiência de crescimento e de fortalecimento da classe empresarial, pelo que, encorajamos que haja transferência de conhecimento diverso, particularmente no agro-negócio e manufacturas”, afirmou Agostinho Vuma.
Por seu turno, Sabrina Ferraz, directora regional da Câmara de Comércio, Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique, fez saber que, entre 2009 e 2013, as trocas comerciais entre os dois países cresceram 34.8%, tendo o investimento brasileiro executado em Moçambique ascendido aos 9.5 biliões de dólares norte-americanos na última década.
Moçambique é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil a nível de África, ultrapassando a média de exportações do Brasil para o resto do mundo, que se situam nos 27%, explicou Sabrina Ferraz, que também destacou o facto de os dois países terem assinado em Março último um acordo de cooperação e facilitação de investimentos, que visa alavancar a internacionalização de empresas.
Importa realçar que o Seminário anual sobre Oportunidades de Negócios entre Brasil e Moçambique insere-se no âmbito da Semana do Brasil em Moçambique, edição 2015 e conta com a participação de cerca de 40 representantes de empresas brasileiras que vêm conhecer as oportunidades de negócio que o País tem a oferecer.

 

Participantes no seminário sobre oportunidades de negócio Brasil-Moçambique

Participantes no seminário sobre oportunidades de negócio Brasil-Moçambique

 

Sabrina Ferraz - Gerente Regional da Câmara de Comércio Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique

Sabrina Ferraz – Gerente Regional da Câmara de Comércio Indústria e Agropecuária Brasil-Moçambique

 

Agostinho Vuma - Vice Presidente da CTA

Agostinho Vuma – Vice Presidente da CTA