home

facebook google linkedin youtube
FDS

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, reitera a necessidade de o desenvolvimento do ramo portuário estar alinhado com o transporte ferroviário como forma de assegurar a necessária competitividade e eficiência das infra-estruturas.


Para o [ ... ]

Ler comunicado
FDS

O projecto Agro-Jovem, uma iniciativa da Gapi-Sociedade de Investimentos financiado pela Danida, acaba de conceder, na província de Sofala, financiamentos a dois projectos avícolas de jovens estudantes universitários, no valor total de um milhão e trezentos mil meticais.

 

Estes [ ... ]

Ler comunicado
FDS

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, prevê para breve a introdução na cidade da Beira do sistema integrado de transportes de passageiros composto por automotoras e autocarros (Metrobus), através duma parceria entre o Governo e um operador [ ... ]

Ler comunicado
FDS

A Associação Internacional de Estudantes de Ciências Económicas e Empresariais (AIESEC-Moçambique) realiza, entre os dias 27 e 30 de Abril, na cidade de Maputo, uma conferência internacional de liderança, denominada Mozambique Leadership Seminar (MozLDS 2018), [ ... ]

Ler comunicado

Os funcionários públicos poderão passar a usar o Metrobus, um sistema integrado de transporte de passageiros que combina automotoras e autocarros, nas suas deslocações dos locais de residência aos postos de trabalho e vice-versa.


Para o efeito, o Governo, através do Ministério das Finanças, está a ponderar substituir os autocarros utilizados por várias repartições do Estado, no transporte dos funcionários públicos, pelo serviço Metrobus.

 

Para a materialização desta iniciativa, estão já em curso negociações entre o Governo e os gestores do projecto Metrobus, que conduziram à redução do preço do passe mensal do Metrobus de 3.500 meticais para 2.500 meticais, para cada utente.

 

Amade Camal, presidente do Conselho de Administração da Sir Motors, disse, a-propósito, ter-se chegado à conclusão de que o Governo ficaria a ganhar muito com a implementação desta iniciativa que, ao mesmo tempo, permitiria ao Metrobus baixar o preço do passe.

 

“Estamos a trabalhar com o Gabinete de Estudos do Ministério da Economia e Finanças e já provámos, através de evidências, que a nossa proposta de transportar os funcionários públicos é exequível. Foi neste contexto que nós anunciamos a redução do preço do passe mensal”, referiu.

 

Explicou que já existe um projecto piloto em que o Metrobus transporta funcionários do Ministério de Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), o qual permitiu a esta instituição reduzir, em 60 por cento, as despesas de transporte e aumentar, em 99 por cento, a eficiência, uma vez que os funcionários passaram a chegar a horas no local de trabalho.

 

Em relação às perspectivas de desenvolvimento do projecto Metrobus na área metropolitana de Maputo, Amade Camal disse que o sucesso do sistema de transporte integrado depende da extensão da rede de autocarros que transportam os passageiros até às estações ferroviárias.

 

“Queremos aumentar a rede de autocarros. Nos últimos dias, temos estado a realizar testes na zona da Circular de Maputo, Khongolote, Matlemele, Mucupi e Muhalaze onde as estradas são precárias, com vista à alocação de viaturas de penetração, com tracção às quatro rodas, no transporte de passageiros das residências até às paragens dos autocarros.

 

Prevê-se, para dentro de poucos dias, segundo acrescentou Amade Camal, a operacionalização de uma frota de dez viaturas de penetração, na primeira fase.

 

Por outro lado e na sequência das negociações com a empresa CFM-Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, o Metrobus perspectiva, para Maio próximo, a abertura de novas rotas e paragens, nomeadamente a introdução da rota Mahotas-Albazine e as paragens de Xitevele, Lusalite, Km 15 e Infulene.

 

Amade Camal PCA da Sir Motors

Amade Camal PCA da Sir Motors

O Standard Bank foi, pela terceira vez consecutiva, distinguido pela Autoridade Tributária de Moçambique como o 2º maior contribuinte fiscal moçambicano, em 2017, na categoria do “Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Colectivas Liquidado sobre o Lucro”, tendo recebido da AT uma menção honrosa pelas suas contribuições fiscais.

 

Ainda na mesma categoria, para o sector bancário, o Standard Bank foi o maior contribuinte fiscal.

 

Para o Standard Bank, estas distinções constituem um “reconhecimento do respeito pelas boas práticas de reporte financeiro e cumprimento nas normas fiscais, bem como da conformidade pelo qual o banco tem pautado na condução do seu negócio”.

 

Para além das contribuições aos cofres do Tesouro Nacional, o Standard Bank tem desempenhado um papel importante no alargamento da base tributária, através de campanhas de cidadania que tem levado a cabo no País, no quadro da sua responsabilidade social.

 

As campanhas visam, essencialmente, ajudar o Governo a emitir Números Únicos de Identificação Tributária (NUITs) para que os cidadãos possam exercer o seu dever de pagar impostos.

 

Nestas iniciativas, são, igualmente, emitidos, com o patrocínio exclusivo do Standard Bank, Bilhetes de Identidade e Cédulas de Nascimento gratuitos, instrumentos, à semelhança do NUIT, essenciais ao exercício da cidadania.

 

standard bank

Multiculturalidade e estilos holísticos de aprendizagem: o encontro entre o Ocidente e o Oriente” foi o terceiro subtema de mais uma sessão do 3º ciclo de debates académicos “Tertúlias Itinerantes”, que decorreu na terça-feira, 10 de Abril. Teve como orador o especialista em Ciências de Educação Jorge Fringe, docente da Universidade Eduardo Mondlane e moderador Augusto Jone, da Universidade Politécnica.

 

Durante o debate, que teve lugar na Fundação Fernando Leite Couto, Jorge Fringe convidou aos presentes a reflectirem sobre em que medida se pode adoptar, no País, um modelo de ensino e aprendizagem que aborde diferentes sensibilidades em termos de antecedentes culturais.

O orador recorreu à natureza formal e intuitiva do conhecimento ocidental e não ocidental (africano, oriental, latino-americano), respectivamente, para encontrar um modelo de aprendizagem que seja aplicável aos dois tipos de conhecimento.

 

Para Jorge Fringe, o modelo que permite a coexistência dos dois conhecimentos, bem como a aceitação de diferentes sensibilidades culturais, é o "holístico, que parte do princípio de que cada indivíduo, neste caso o estudante, tem uma preferência e uma fuga".

 

“Julgo que o modelo holístico é o único que aborda as duas perspectivas, nomeadamente a ocidental e a não ocidental, ou dos países do Sul (que inclui a africana, oriental e a latino-americana)”, considerou Jorge Fringe.

 

Entretanto, de acordo com o orador, este modelo impõe inúmeros desafios ao professor, como, por exemplo, a necessidade de acompanhar, de forma individualizada, o processo de assimilação da matéria por parte dos estudantes.

 

“Em que medida é que os professores respondem, satisfatoriamente, aos desafios que encontram numa sala de aula, com estudantes que aprendem de formas diferentes, a ritmos diferentes e com preferências diferentes?”, questionou Jorge Fringe.

 

Importa referir que as Tertúlias Itinerantes decorrem sob o lema “Fluxos de comunicação intercultural no espaço de língua portuguesa: debater o desconhecimento mútuo no contexto da era global”.

 

Esta iniciativa académica é coordenada por Sara Laísse, da Universidade Politécnica, Eduardo Lichuge, da Universidade Eduardo Mondlane, e Lurdes Macedo, da Universidade Lusófona, de Portugal.

 

Este ciclo irá decorrer até Novembro deste ano, com a apresentação e discussão de 10 sub-temas, sendo um por cada mês, e irá escalar diversos lugares da capital do País.

 

Jorge Fringe orador 2

Jorge Fringe orador

 

Plateia

Plateia

 

Plateia 2

Plateia

 

A Associação Moçambicana de Juízes (AMJ) realiza, segunda-feira, 16 de Abril, em Maputo, uma palestra subordinada ao tema “Percurso Histórico da Edificação do Poder Judicial em Moçambique”.

 

A palestra, destinada aos juízes moçambicanos, será dirigida pelo antigo estadista moçambicano, Joaquim Alberto Chissano que, entre vários assuntos, irá abordar “o pensamento edificante do Sistema Judicial no Pós-Independência”, e “os motivos que conduziram à opção por um modelo de justiça popular”.

 

Para além de analisar o conteúdo material e concreto da independência do Poder Judicial, num contexto de Estado centralizado, Joaquim Chissano irá igualmente falar da opção por uma independência formal e material, à luz da Constituição da República de 1990 e, em face da sua experiência, perspectivar a justiça que se pretende para o Moçambique actual.

 

Importa referir que a AMJ é uma organização que congrega juízes moçambicanos, com a finalidade de contribuir para o desenvolvimento e melhoria das condições para o exercício independente, imparcial e digno da função destes magistrados, bem como a salvaguarda dos seus legítimos interesses e direitos.

 

amj

A Odebrecht Engenharia e Construção Internacional e CBPO Engenharia (ambas subsidiárias da Odebrecht Engenharia e Construção), venceram, recentemente, um novo contrato com o consórcio Usina Termoléctrica Santa Cruz, estimado em 175 milhões de dólares norte-americanos, para o aumento da capacidade da termoeléctrica Santa Cruz, no Rio de Janeiro, no Brasil.

 

Trata-se da transformação da Usina Termoeléctrica de Santa Cruz (UTE) em ciclo combinado, usando turbinas a gás existentes e gás natural como combustível.

 

O contrato prevê a prestação dos serviços de engenharia, obras civis, montagem electromecânica, fornecimento de materiais, equipamentos e sistemas, treinamentos e operação assistida.

 

Neste processo de contratação, bastante concorrido, as empresas da Odebrecht apresentaram o menor preço, com uma proposta sete por cento abaixo do valor orçamentado.

 

A UTE Santa Cruz opera actualmente com 350 megawatts de capacidade, segundo dados da Agência Nacional de Energia Eléctrica (ANEEL).

O encerramento do chamado ciclo combinado na usina vai garantir uma potência final de pelo menos 507 megawatts líquidos, segundo documentos da licitação.

 

A Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) é considerada pela revista Engineering News – Record como uma das cinco maiores construtoras internacionais em número de obras executadas nas seguintes especialidades: usinas hidroeléctricas, sistemas de mobilidade urbana (como linhas de metro e comboio) e plantas industriais, o que inclui usinas termoeléctricas.

 

A OEC tem implantado, desde 2015, melhorias nos seus sistemas de governação e conformidade/compliance, tomando como referência as melhores práticas mundiais.

 

Odebrecht

Leandro Paul

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

+258 823007740
+258 843007740
+258 21321946

António Dias

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

+258 823140960
+258 843140960
+258 21321945

FDS Fim de Semana, Lda

Agência de Comunicação e Imagem
Avenida 25 de Setembro, Nº1123,
1º Andar, Flat D-E-F
Prédio Cardoso
Maputo, Moçambique