A Odebrecht Engenharia e Construção Internacional e CBPO Engenharia (ambas subsidiárias da Odebrecht Engenharia e Construção), venceram, recentemente, um novo contrato com o consórcio Usina Termoléctrica Santa Cruz, estimado em 175 milhões de dólares norte-americanos, para o aumento da capacidade da termoeléctrica Santa Cruz, no Rio de Janeiro, no Brasil.

 

Trata-se da transformação da Usina Termoeléctrica de Santa Cruz (UTE) em ciclo combinado, usando turbinas a gás existentes e gás natural como combustível.

 

O contrato prevê a prestação dos serviços de engenharia, obras civis, montagem electromecânica, fornecimento de materiais, equipamentos e sistemas, treinamentos e operação assistida.

 

Neste processo de contratação, bastante concorrido, as empresas da Odebrecht apresentaram o menor preço, com uma proposta sete por cento abaixo do valor orçamentado.

 

A UTE Santa Cruz opera actualmente com 350 megawatts de capacidade, segundo dados da Agência Nacional de Energia Eléctrica (ANEEL).

O encerramento do chamado ciclo combinado na usina vai garantir uma potência final de pelo menos 507 megawatts líquidos, segundo documentos da licitação.

 

A Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) é considerada pela revista Engineering News – Record como uma das cinco maiores construtoras internacionais em número de obras executadas nas seguintes especialidades: usinas hidroeléctricas, sistemas de mobilidade urbana (como linhas de metro e comboio) e plantas industriais, o que inclui usinas termoeléctricas.

 

A OEC tem implantado, desde 2015, melhorias nos seus sistemas de governação e conformidade/compliance, tomando como referência as melhores práticas mundiais.

 

Odebrecht