• pt
Na cidade e província de Maputo: Açúcar e farinha de trigo são comercializados com baixos índices de fortificação
07/12/2017
Presidium
“Futuro do Trabalho” debatido em Maputo
09/12/2017

Estudantes da ECA interagem com com Jimmy Dludlu, Judith Sephuma e Oliver Mtukudzi

Mesa que presidiu a palestra

No âmbito da primeira edição do Festival Standard Bank Acácia Jazz, o banco promoveu diversas actividades culturais, com destaque para a interação entre os músicos do festival e estudantes universitários, bem como a exposição artística no local do espectáculo.

 

O Standard Bank promoveu um workshop interactivo entre os artistas de cartaz do espectáculo e os estudantes da Escola de Comunicação e Artes (ECA), uma unidade orgânica da Universidade Eduardo Mondlane.

 

Neste evento, os estudantes interagiram abertamente com Jimmy Dludlu, Judith Sephuma e Oliver Mtukudzi, tendo-se abordado a carreira destes artistas e os segredos para um músico tornar-se bem sucedido nesta área cultural.

 

Comentando a respeito desta iniciativa, o director da ECA, João Miguel, avançou que se tratou de um grande e importante momento de interação entre os músicos e os estudantes, no qual para além de terem colhido experiências, os discentes perceberam que, para terem sucesso na vida artística, precisam de trabalhar e estudar bastante.

 

Fazendo o balanço do workshop, o director da ECA referiu que o mesmo foi bastante positivo, aproveitando a ocasião para agradecer ao Standard Bank “por esta oportunidade que nos deu de interagir com músicos de gabarito internacional, como são os casos de Jimmy Dludlu, Judith Sephuma e Oliver Mtukudzi.

 

Comentando igualmente sobre esta iniciativa, Jimmy Dludlu também agradeceu ao Standard Bank e à ECA “por nos terem dado esta oportunidade de interagir com os estudantes”.

 

Todavia destacou a actuação, ainda no workshop, da Banda Kanyissa Queens, composta por mulheres estudantes da ECA, que na ocasião interpretou músicas de Oliver Mtukudzi e de Judith Sephuma.

 

“Elas trabalharam bastante para a apresentação que fizeram, o que reforça a minha ideia de que é sempre importante apoiar a nova geração na área da cultura, porque são os futuros embaixadores desta área”, manifestou.

 

“Se nós começarmos desde o ensino básico a dar educação musical, para depois fortificar no ensino superior, o nosso País estará em boa posição em termos de promoção do turismo e da cultura moçambicana a nível mundial”, finalizou Jimmy Dludlu.

 

Numa outra sub-vertente do festival, o Standard Bank apoiou a exposição do artista plástico Bernardo Carrula, conhecido por Tomo, evento que decorreu na parte externa do local do espectáculo. Como resultado, o vencedor do 1º e do 2º prémio Bienal da TDM, em 1999 e 2001, bem como do 2º prémio anual da MUSART em 2011, vendeu, durante o festival, um total de seis obras da sua autoria.

 

Ainda no quadro do apoio às manifestações culturais, o Standard Bank deu oportunidade à poetisa Arira Abacar Mussa para declamar um poema dedicado à cidade de Maputo, acto que antecedeu a actuação da Banda Kakana na 1ª edição do Festival Standard Bank Acácia Jazz.

 

Mesa que presidiu a palestra

Mesa que presidiu a palestra

 

Banda Kanyissa interpretando músicas de Oliver Mtukudzi

Banda Kanyissa interpretando músicas de Oliver Mtukudzi

 

Arira Abacar Mussa poetisa

Arira Abacar Mussa poetisa

 

Exposição plástica

Exposição plástica

 

João Miguel director da ECA

João Miguel director da ECA

 

Jimmy Dludlu músico

Jimmy Dludlu músico

 

Foto de família

Foto de família