• pt
Apresentação da emissão digital
Migração da Radiodifusão Analógica para a Digital: Lançado o primeiro emissor
09/12/2015
Mesa que presidiu a apresentação da Casa das Federações ao Governo
Associações económicas da CTA já têm instalações fixas
11/12/2015

Finlandeses lamentam o baixo volume de trocas comerciais com Moçambique

Mesa que presidiu o Seminário de Negócios entre Moçambique e Finlândia

Empresários e representantes de instituições financeiras da Finlândia encontram-se no nosso País, para identificar oportunidades de negócios que Moçambique oferece, com particular enfoque para as áreas da agricultura, infra-estruturas e recursos minerais.
Nesse sentido, os membros da delegação empresarial daquele País participaram esta quarta-feira, 9 de Dezembro, num seminário organizado pela Embaixada da Finlândia, em parceria com a Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), durante o qual se inteiraram das oportunidades de negócio e das facilidades concedidas a quem pretende investir em Moçambique.
O Ministro da Indústria e Comércio, Max Tonela, que dirigiu o encontro, considerou que a vinda desta delegação a Moçambique é uma prova do interesse da Finlândia, em tirar proveito das oportunidades e facilidades de investimento que Moçambique oferece, com destaque nas áreas de turismo, agricultura, agro-indústria, manufactura, transportes e serviços.
Num outro desenvolvimento, Max Tonela referiu que Moçambique afigura-se como um bom País, para investir mercê da sua “posição geográfica e infra-estruturas ferro-portuárias e rodoviárias, que abrem caminho para o mercado regional de consumo mais alargado, para além da exportação para mercados preferenciais do mundo”.
Em relação à Finlândia, o Ministro da Indústria e Comércio disse que Moçambique pode beneficiar do seu “know-how” e dos seus recursos financeiros e tecnológicos para alavancar a sua economia.
Por seu turno, a Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), representada pelo Director Executivo, Luís Sitóe, afirmou que o seminário “foi uma oportunidade ímpar para os empresários finlandeses interagirem com os moçambicanos e, por via disso, estabelecerem parcerias económicas e trocar experiências nos diferentes ramos”.
Já a Embaixadora da Finlândia em Moçambique, Seija Toro, mostrou-se preocupada com o baixo volume das trocas comerciais entre os dois países, estimadas em 20 milhões de Euros por ano.
“Apesar de as relações bilaterais entre a Finlândia e Moçambique terem sido estabelecidas há 40 anos, as trocas comerciais ainda são insignificantes”, concluiu a diplomata.
Entretanto, na terça-feira, a Mesa Redonda Holandesa sobre Petróleo e Gás, em coordenação com a Embaixada do Reino dos Países Baixos em Moçambique organizou um curso especializado sobre a cadeia de valor do petróleo e gás.
Pretendia-se com o curso oferecer uma plataforma de interacção entre as 10 maiores empresas holandesas ligadas ao sector de petróleo e gás e as partes interessadas moçambicanas.

Mesa que presidiu o Seminário de Negócios entre Moçambique e Finlândia

Mesa que presidiu o Seminário de Negócios entre Moçambique e Finlândia

 

Participantes no Seminário de Negócios entre Moçambique e Finlândia

Participantes no Seminário de Negócios entre Moçambique e Finlândia

 

Luís Sitoe Director Executivo da CTA

Luís Sitoe Director Executivo da CTA

 

Seija Toro Embaixadora da Finlândia em Moçambique

Seija Toro Embaixadora da Finlândia em Moçambique