• pt
Participantes no Lançamento do Plano Estratégico de Desenvolvimento da Província de Maputo
Província do Maputo: Agostinho do Rosário vinca necessidade de se privilegiar parcerias com sector privado
20/08/2015
Momento em que o Administrador Delegado do Standard Bank visitava a Pediatria do Hospital Geral José Macamo
Responsabilidade social do Standard Bank: Hospital Geral José Macamo recebe incubadoras
21/08/2015

Lourenço do Rosário: “Instituições do ensino superior não devem aceitar passivamente transportar o estigma da falta de qualidade no processo de formação”

Lourenco do Rosario - Reitor da Politecnica

O Reitor da Universidade Politécnica, Lourenço do Rosário, defendeu que as instituições do ensino superior, no País, não devem aceitar passivamente transportar o estigma da falta de qualidade no processo de formação.
O académico fez este pronunciamento, quarta-feira última, 19 de Agosto, em Maputo, ao proferir uma palestra subordinada ao tema “A produção e transferência do conhecimento entre as universidades no mundo global – outra forma de dominação”, que marcou o ínicio do ciclo de palestras no âmbito dos 40 anos da Independência Nacional.
“Temos todas as condições de poder reagir àquilo que aparentemente nos parece normal e que devemos aceitar como nossas insuficiências”, enfatizou o Reitor da Universidade Politécnica.
Num outro desenvolvimento, Lourenço do Rosário sustentou que os excelentes centros de formação constituídos pelas potências colonizadoras e que eram reconhecidos internacionalmente como grandes universidades, entraram em colapso depois das independências, porque se quebraram as relações de poder entre as colónias e as suas metrópoles.
“As grandes universidades africanas de outrora vivem hoje, sobretudo, do parasitismo do conhecimento produzido pelos grandes centros universitários nas ciências, na tecnologia e nas humanidades”, realçou.
Como solução para esta situação, o reitor sugeriu que “as universidades devem sobretudo pugnar por fortalecer-se em primeiro lugar entre si, elegendo como prioritário uma rede de relacionamento multilateral”.
Só com este fortalecimento, conforme sublinhou Lourenço do Rosário, “é que poderemos encontrar uma plataforma que permita dialogar de igual para igual com os centros que detêm o poder de produzir e transferir o conhecimento”.
O lançamento do ciclo de palestras alusivo às celebrações dos 40 anos da Independência Nacional coube ao ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional.
Jorge Nhambiu referiu, na ocasião, que o Governo insta as instituições do ensino superior a medirem, constantemente, a qualidade dos cursos que oferecem rumo à superação dos diversos desafios que o País enfrenta.
“É necessário o aprimoramento dos mecanismos para a garantia dum ensino de qualidade”, indicou, acrescentando que as palestras devem servir para continuar a impregnar os estudantes com valores nobres, entre os quais a auto-estima, patriotismo, unidade nacional e a cultura de paz.
Importa salientar que, com vista a promover uma reflexão, entre académicos, políticos, sociedade civil e público em geral, sobre os 40 anos de Independência Nacional estão agendadas mais oito palestras.

 

Lourenco do Rosario - Reitor da Politecnica