• pt
Otis em concerto 1
Otis e Pedro Ben brilham no Centro Universitário
22/11/2014
Dr. Salvador Forquilha
Académicos debatem as últimas eleições gerais: “Desconfianças e constantes alterações à legislação eleitoral têm um impacto negativo no funcionamento dos órgãos eleitorais”
25/11/2014

Na Terminal Rodoviária do KM4: Alfândegas propõem-se desembaraçar camiões em trânsito em apenas 15 minutos

Guilherme Mambo director geral das Alfândegas de Moçambique

Com o objectivo de dar o ponto de situação sobre a Terminal Rodoviária do KM4 e debruçar-se sobre os procedimentos a serem aplicados no projecto, as Alfândegas de Moçambique reuniram-se, sexta-feira última, em Ressano Garcia, província de Maputo, com os utilizadores do corredor de Maputo , nomeadamente transportadores, cadeias de supermercados, bancos comerciais, despachantes aduaneiros e operadores de trânsito.

Com a operacionalização da Terminal Rodoviária do KM4, cuja inauguração está prevista para breve, as Alfândegas de Moçambique propõem-se a desembaraçar os camiões de trânsito em apenas 15 minutos, tornando aquela terminal de carga aduaneira uma referência na região Austral de África e no continente.

Para a materialização deste pressuposto, o director-geral das Alfândegas de Moçambique, Guilherme Mambo, referiu ser necessário o envolvimento de todos os operadores no processo.

“Dos ensaios que têm sido efectuados, é possível verificar que o desafio de desembaraçar um camião de trânsito em 15 minutos é real, mas é preciso ter em conta que as Alfândegas não operam aqui sozinhas, pois existe o operador da terminal, que tem os seus procedimentos, o operador de inspecção não intrusiva, os bancos comerciais, os despachantes aduaneiros e até os próprios motoristas dos camiões”, frisou.

Em relação ao encontro que manteve com os operadores, o director-geral das Alfândegas de Moçambique disse terem colocado preocupações que demonstram o seu interesse em apoiar este projecto, que visa a melhorar o desembaraço aduaneiro com reflexos positivos no ambiente de negócios.

“São preocupações genuínas relacionadas com o tempo de desembaraço, a necessidade de se melhorar alguns procedimentos, de tal maneira que não haja redundância. Em suma, foi uma discussão muito franca com os utentes da terminal que se comprometeram a prestar todo o apoio às Alfândegas para que este projecto seja de facto o melhor do País, da região e, quiçá, do continente”, realçou.

Concebida para proporcionar aos utentes um ambiente moderno, eficiente e sobretudo valor acrescentado, obedecendo um sistema de acesso controlado, a Terminal Rodoviária do KM4 encontra-se praticamente concluída, estando agora em curso obras de acabamento.

Félix Massangaie, gestor da equipa das Alfândegas de Moçambique na Janela Única Electrónica, explicou que este sistema de desembaraço célere de mercadorias vai ajudar na facilitação do fluxo de mercadorias na Terminal Rodoviária do KM4.

“Não iremos condicionar a chegada dos camiões para que haja desembaraço aduaneiro. A única condição que vamos exigir é que haja submissão do manifesto de carga, para que o desembaraço ocorra. Vamos passar para uma situação em que o fluxo será muito mais rápido, pois estão criadas todas as condições para que isso aconteça”, enfatizou.

 

Guilherme Mambo director geral das Alfândegas de Moçambique

Guilherme Mambo Director Geral das Alfândegas de Moçambique

 

Félix Massangaie gestor da equipa das Alfândegas de Moçambique no projecto da Janela Única Electrónica

Félix Massangaie Gestor da Equipa das Alfândegas de Moçambique no projecto da Janela Única Electrónica

 

Pormenor da visita as instalações da Terminal Rodoviária do Km4 em Ressano Garcia

Pormenor da visita as instalações da Terminal Rodoviária do Km4 em Ressano Garcia

 

Parte dos participantes ao encontro de auscultação sobre a Terminal Rodoviária do Km4

Parte dos participantes ao encontro de auscultação sobre a Terminal Rodoviária do Km4