• pt
Mesa que presidiu a Assembleia Geral da CDM
Na ordem de 1%: CDM regista decréscimo de vendas
02/08/2014
Celso Saete - responsável pelas Operações da Divisão de Transporte Sul da EDM mostrando a torre danificada por uma viatura na Manhiça
Interrupção de fornecimento de energia eléctrica a Gaza e Inhambane para reparação de torre danificada por uma carrinha
07/08/2014

No âmbito da cimeira de Chefes de Estado e do Governo EUA/África: Standard Bank compromete-se a colmatar falta de financiamentos no sector de energia no continente

O Grupo Standard Bank e a General Electric comprometeram-se a colmatar a falta de financiamentos no sector de energia em África, numa mesa-redonda realizada, terça-feira última, em Washington DC, nos Estados Unidos da América (EUA), no âmbito da cimeira de Chefes de Estado e do Governo EUA/África.

 

Segundo a Agência Internacional de Energia, a África Subsariana precisa de mais de 300 mil milhões de dólares de investimento para criar condições de acesso universal à electricidade em 2030.

 

A parceria estratégica já fez com que o Standard Bank e a General Electric se comprometessem com um acordo de financiamento de 350 milhões de dólares destinados à melhoria das condições de acesso a infraestruturas energéticas em África.

 

Este continente precisa de aumentar em 300 gigawatts (GW) a sua capacidade de geração de energia nos próximos 15 anos para poder satisfazer a procura, cujo crescimento se prevê ter uma média anual de 3% nas próximas duas décadas.

 

Sim Tshabalala, director Executivo do Grupo Standard Bank, disse que as soluções que vão permitir ao continente satisfazer a procura crescente de energia só serão possíveis quando os responsáveis pelo desenvolvimento, governos e financiadores chegarem a um entendimento comum relativamente aos riscos, preços e imperativos de regulamentação necessários para facilitar o investimento.

“Existem oportunidades importantes e uma opção de investimento viável para os governos em toda a África, para fornecer a maior fatia do financiamento com dívida a longo prazo, se forem criadas as condições para garantir um retorno seguro sobre os investimentos em geração e distribuição de energia”, frisou.

 

Tshabalala acrescentou que “o Standard Bank trabalha com os investidores para oferecer um modelo sustentável e estruturado destinado a financiar projectos energéticos e infraestruturais adequadamente”.

 

Para o Standard Bank, África oferece uma atraente oportunidade de comércio e de investimento a multinacionais norte-americanas graças às taxas de crescimento económico acelerado que se registam em todo o continente, juntamente com o crescente crescimento da população e o aumento da urbanização.

 

O interesse renovado dos EUA em África está incorporado na Iniciativa “Power Africa” ou Energia de África do presidente Barack Obama, que foi lançada no ano passado e pretende dobrar o acesso à energia em seis países parceiros da África Subsariana.

“Neste sentido, o plano dos EUA para revitalizar os seus vínculos comerciais com o continente africano não poderia vir num momento mais oportuno”, comentou Sim Tshabalala. O governo dos EUA comprometeu-se a disponibilizar mais de sete biliões de dólares em apoio financeiro e garantias de empréstimos para o projecto ao longo dos próximos cinco anos.