• pt
Troca de pastas
100 milhões USD para dragar canal do Porto de Maputo
20/04/2016
Ruben Chivale orador
Ao tomar decisões inerentes às suas responsabilidades‎: Dirigentes de empresas aprendem a proteger-se
21/04/2016

Oferta de cestas básicas: CTA alivia sofrimento das populações na Manhiça e Magude

Oferta das cesta básicas a uma das beneficiárias do distrito de Magude

‎A Confederação das Associações Económicas de Moçambique – CTA, representada pelo Conselho Empresarial Provincial de Maputo – CEP, procedeu à entrega, nesta terça-feira, 19 de Março, de 650 cestas básicas às populações directamente afectadas pela estiagem nos distritos da Manhiça e de Magude.
Foram, ao todo, 650 famílias beneficiadas pela oferta dos produtos de primeira necessidade, sendo 300 do posto administrativo da Ilha Josina, na Manhiça e 350 em Mahele, no distrito de Magude.
De acordo com o presidente do CEP, Cândido Bila, esta iniciativa solidária da CTA surge em resposta ao apelo feito pelo governo da província de Maputo, para a minimização do impacto da estiagem no seio das populações desta parcela do País.
Segundo Bila, “o governo pediu apoio aos empresários e às pessoas singulares. E nós, como braço da CTA na província de Maputo, simplesmente fizemos a nossa parte”, acrescentando que, como primeiro passo, o CEP lançou, por sua vez, vários apelos aos homens de negócio baseados nesta província tendo, a empresa KAWENA, respondido positivamente, disponibilizando 1.000 cestas, das quais 650 já foram distribuídas na Manhiça e em Magude, e os restantes ainda por entregar no distrito de Moamba.
Cândido Bila justificou a escolha dos postos administrativos da Ilha Josina e de Mahele, na Manhiça e em Magude respectivamente, assumindo que houve interação entre o CEP e os governos provincial, distrital e lideranças locais, no sentido de se encontrar aqueles que estão mais carenciados.
Na hora de fazer o balanço das duas visitas, o presidente do CEP salientou que se sente bastante realizado por conduzir um movimento social que tem, por objectivo, remediar a dor das populações assoladas pela estiagem. No entanto, destacou que o sentimento não é, ainda, de dever cumprido, na medida em que “não estamos em condições de ajudar a toda gente necessitada”.
Disse, por outro lado, que “estamos a fazer a nossa parte. Demos o primeiro passo e estamos seguros que este movimento continuará, doravante massivo”, tendo na ocasião informado que os próximos pontos a serem escalados, para a oferta das cestas básicas, serão os distritos de Moamba e mais alguns da província de Gaza.
Em representação da população da Ilha Josina, a administradora do distrito da Manhiça, Cristina Mafumo, agradeceu o gesto solidário do CEP, referindo que “estes produtos vão ajudar a mitigar os efeitos da estiagem que assola este distrito”. De acordo com a governante, a situação de seca nesta parcela da província de Maputo afecta cerca de 4 mil famílias, que de resto se encontram em situação de insegurança alimentar.
O administrador do distrito de Magude, Oreste Bustani, considerou, por sua vez, que a iniciativa do CEP é de salutar e indispensável. “Temos a plena consciência de que, com este acto solidário, uma parte dos habitantes do posto administrativo de Mahele terá algo para comer durante algum tempo”, garantiu.
Oreste Butani aproveitou a ocasião para pedir mais apoio aos empresários e às pessoas anónimas, “para que sigam este exemplo do CEP e ajudem às cerca de 14 mil pessoas do distrito de Magude, directamente assoladas pela seca”.

 

Oferta das cesta básicas a uma das beneficiárias do distrito de Magude

Oferta das cesta básicas a uma das beneficiárias do distrito de Magude

 

 

Beneficiárias da cestas básicas

Beneficiárias da cestas básicas

 

Cristina Mafumo Administradora da Manhiça

Cristina Mafumo Administradora da Manhiça

 

Cândido Bila Presidente do CEP

Cândido Bila Presidente do CEP

 

Oreste Bustani Administrador de Magude

Oreste Bustani Administrador de Magude

 

Beneficiárias da cestas básicas

Beneficiárias da cestas básicas