• pt
Visita ao laboratório de calibração de instrumentos do INAM
Para reforçar capacidade de previsão do tempo a norte do País: Moçambique vai adquirir dois radares meteorológicos
23/03/2016
Painel principal do StartMOZup
Standard Bank considera empreendedorismo como motor fundamental do crescimento económico
28/03/2016

Para um melhor desenvolvimento das PME: Governo vai rever as políticas de Qualidade

Mesa que presidiu o seminário alusivo ao 23º aniversário do INNOQ

O Governo está a proceder à revisão das políticas de Qualidade e Industrial e a Estratégia para o Desenvolvimento das Pequenas e Médias Empresas, com vista a adequá-las às actuais necessidades e desafios do País, que passam por ter uma indústria nacional que coloque, tanto no mercado interno como internacional, produtos de qualidade.
Esta revisão, prevista no Programa Quinquenal do Governo 2015-2019, visa, igualmente, aperfeiçoar o Sistema de Normalização e Certificação de Qualidade dos produtos, bem como contribuir para o desenvolvimento e competitividade da indústria nacional.
De acordo com a secretária permanente do Ministério da Indústria e Comércio, Carla Soto, a revisão destes instrumentos “enquadra-se nos esforços do Governo, no sentido de criar condições para que o nosso País tenha uma infra-estrutura de qualidade, que cumpra os requisitos internacionais”.
Carla Soto falava quinta-feira, 24 de Março, na cidade de Maputo, num seminário alusivo aos 23 anos do Instituto Nacional de Normalização e Qualidade (INNOQ).
Sobre o INNOQ, a secretária permanente referiu que o Governo está a investir no sentido de esta entidade ter equipamento e pessoal para que possa desempenhar o seu papel, que é o de implementar a Política Nacional de Qualidade, através da concretização das actividades de Normalização, Metrologia, Certificação e Gestão de Qualidade.
Por seu turno, Alfredo Sitoe, director geral do INNOQ, afirmou que, embora tenha conhecido significativos avanços nos últimos anos, a instituição que dirige ainda enfrenta “enormes desafios”.
Um deles tem a ver com a “capacitação dos funcionários para que possam responder à demanda do mercado dos serviços de calibração e verificação de instrumentos de medição nas mais diversas áreas”.
O evento contou com a participação do vice presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA), Agostinho Vuma que, na sua intervenção, referiu-se ao papel desempenhado pelo INNOQ na certificação e padronização da qualidade dos produtos.
“O INNOQ permite que os nossos produtos e serviços tenham certificação e padronização de ponto de vista metrológico, assegurando, assim, maior qualidade e confiança do consumidor perante os serviços e bens vendidos pelas empresas”, concluiu Agostinho Vuma.
Importa realçar que o INNOQ, fruto do trabalho já realizado, assiste actualmente a 97 empresas e 5 laboratórios para fazer calibrações dos instrumentos de medição, tendo já certificado 13 empresas em sistemas de gestão e 4 produtos para além de possuir 932 normas técnicas aplicáveis a diversas áreas como por exemplo alimentos, combustíveis, gestão de qualidade, entre outras.

 

Mesa que presidiu o seminário alusivo ao 23º aniversário do INNOQ

Mesa que presidiu o seminário alusivo ao 23º aniversário do INNOQ

 

Carla Soto Secretária Permanente do Ministério da Indústria e Comércio

Carla Soto Secretária Permanente do Ministério da Indústria e Comércio

 

Alfredo Sitoe Director Geral do INNOQ

Alfredo Sitoe Director Geral do INNOQ

 

Agostinho Vuma Vice presidente da CTA

Agostinho Vuma Vice presidente da CTA

 

Participantes no seminário alusivo ao 23º aniversário do INNOQ

Participantes no seminário alusivo ao 23º aniversário do INNOQ