• pt
Odebrecht
Denúncia sobre condutas reprováveis: Odebretch lança novo canal de ética
15/06/2017
Carlos Mesquita Ministro dos Transportes e Comunicações 1
Moçambique reforça cooperação com a Rússia e Turquia
19/06/2017

Paralisado há mais de 10 anos: Primeiro comboio de mercadorias chega a Lichinga

ministerios dos transportes e comunicacao

O primeiro comboio de mercadorias chega esta sexta-feira, 16 de Junho, à Cidade de Lichinga. Trata-se do reinício do transporte ferroviário de mercadoria, entre a capital provincial do Niassa e o estratégico Porto de Nacala, paralisado há mais de uma década.
O comboio inaugural partiu do Porto de Nacala no dia 14 de Junho, obedecendo a diversas escalas para o carregamento e descarga de mercadorias ao longo da via. O comboio é composto por 15 vagões de 40 toneladas cada, sendo cinco vagões de trigo, cinco vagões de cimento, dois de arroz, dois de combustível e um de sal.

Para o Ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, o reinício do transporte ferroviário de mercadoria para Lichinga representa um marco importante para a dinamização da economia da zona norte do País e da Província do Niassa, em particular.

“Os custos de transporte de carga de Nacala para Lichinga vão conhecer uma redução de mais de 60%, como resultado desta operação. Actualmente, os operadores rodoviários cobram cerca de 40 meticais por tonelada/quilómetro no transporte de mercadorias neste trajecto”, explicou Mesquita, acrescentando que, com este feito, fica cumprido o grande objectivo estratégico do Governo e que vai trazer enormes benefícios para a melhoria da vida da população, bem como o relançamento da economia naquela parcela do País.

A Cidade de Lichinga depende, em grande medida, de produtos provenientes de Nacala, com destaque para os combustíveis (gasóleo, gasolina, petróleo e gás), material de construção civil como o cimento, produtos alimentares como o sal, trigo açúcar, sabão e outros. No sentido descendente, o comboio vai dinamizar a comercialização agrícola através do escoamento do milho, feijão, batata, entre outros produtos agrícolas cultivados no Niassa.

Numa primeira fase, estão programados comboios semanais, estando já criadas as necessárias condições para o aumento da frequência e capacidade de tracção, em função da evolução da demanda.

Refira-se que, com a reabertura da linha férrea Cuamba/Lichinga, inaugurada pelo Presidente da República, em Novembro de 2916, a Província do Niassa tem vindo a ser servida pelo transporte ferroviário de passageiros com carreiras regulares para Cuamba, Nampula e Entre – Lagos.

O transporte ferroviário de passageiros tem um impacto bastante significativo na mobilidade de pessoas e bens, a preços acessíveis à maioria dos cidadãos. No troço Nampula/ Lichinga, os cidadãos pagam uma tarifa social de 365,00 MT, contra os cerca de 1.000,00 MT cobrados no transporte rodoviário.

 

ministerios dos transportes e comunicacao