• pt
Momento em que o Administrador Delegado do Standard Bank visitava a Pediatria do Hospital Geral José Macamo
Responsabilidade social do Standard Bank: Hospital Geral José Macamo recebe incubadoras
21/08/2015
Filipe Nyusi Presidente da República
Para alavancar o sector da agricultura: Sector privado lamenta escassez de recursos públicos
28/08/2015

PME’s capacitam-se em conteúdo local

Pormenor da formação sobre conteúdo local

Proprietários e gestores de Pequenas e Médias Empresas (PME´s) da província de Maputo participaram esta quarta-feira, 26 de Agosto, na cidade da Matola, numa formação sobre conteúdo local, organizada pela Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) com o apoio do FAN – Fundo para o Ambiente de Negócios, com o objectivo de dotá-los de informações sobre os requisitos para fornecer bens e serviços ao Estado e às multinacionais a operar no País.
Com esta formação, a CTA espera que “o conteúdo local conste de uma estratégia nacional para alavancar a participação dos moçambicanos nos projectos de carvão, gás, petróleo, agricultura, transporte e turismo através do conteúdo local, definido como a percentagem de um produto cujo valor agregado tem origem no mercado interno”.
A CTA considera que formações do género, que irão decorrer também nas províncias de Nampula, Cabo Delgado, Tete e actualmente em Sofala, constituem um instrumento para divulgar e harmonizar o entendimento nacional sobre conteúdo local, incluindo as suas diferentes abordagens, nomeadamente conteúdo nacional, conteúdo local e conteúdo comunitário.
Faruk Osman, presidente do Conselho Empresarial Provincial de Maputo, explicou que a formação faz parte de uma estratégia visando o empoderamento das Pequenas e Médias Empresas nacionais, principalmente no que diz respeito ao fornecimento de bens e serviços ao Estado e às multinacionais.
“Por a nossa economia estar num contexto de globalização, verificamos que existem empresas nacionais que apresentam fraquezas no que concerne ao acesso aos critérios de interacção com as multinacionais e competitividade, a nível nacional e até regional. O nosso desafio é fazer com que o potencial do nosso País se traduza em crescimento das nossas Pequenas e Médias Empresas”, disse Faruk Osman.
Por seu turno, o economista Hipólito Hamela, na qualidade de formador, considera que é necessário que as PME´s nacionais criem condições e capacidade para poderem fornecer bens e serviços às multinacionais e, quiçá, competir em pé de igualdade com empresas de outras partes do mundo.
“As multinacionais nunca vão baixar os seus padrões de exigência e de qualidade para acomodar os problemas das empresas moçambicanas. Por isso temos de elevar os nossos níveis”, concluiu Hipólito Hamela.
Importa ainda realçar que durante a formação, foram mencionados alguns exemplos de melhores práticas no mundo, como são os casos do Gana, Nigéria, Trindade e Tobago, onde foram desenhados programas de desenvolvimento das firmas locais, o que permitiu que elas fossem capazes de fornecer bens e serviços a grandes projectos.

 

 

Pormenor da formação sobre conteúdo local

Pormenor da formação sobre conteúdo local

 

Faruk Osman - presidente do Conselho Empresarial Provincial de Maputo

Faruk Osman – Presidente do Conselho Empresarial Provincial de Maputo

 

Hipólito Hamela - economista

Hipólito Hamela – Economista