• pt
Pedro Mourana artista plástico
Pedro Mourana expõe sobre questões ambientais
16/11/2016
Carlos Mesquita ministro dos Transportes e Comunicações
Sinistralidade rodoviária: Morrem cinco pessoas por dia
18/11/2016

Refrigerantes Frozy: Análises laboratoriais internacionais desmentem alegações do Malawi

Sector de enchimento dos refrescos Frozy

Os vice-ministros da Saúde e da Indústria e Comércio garantiram, esta quinta-feira, 17 de Novembro, no município da Matola, que os refrigerantes da marca Frozy, produzidos pela empresa Yaafico Industrial, Lda, estão dentro dos padrões regulares dos códigos alimentares da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), pelo que não representam nenhum risco à saúde pública.

Mouzinho Saíde e Ragendra de Sousa percorreram as várias áreas de produção da Frozy, tendo manifestado a sua satisfação com o que viram.

“O Ministério da Saúde fez as análises laboratoriais dos produtos da marca Frozy e constatou que estão dentro dos padrões regulares preconizados nos códigos alimentares da OMS e da FAO”, referiu Mouzinho Saíde, acrescentando que as análises incluíram a qualidade do produto, em termos microbiológicos, onde constataram não tem nenhum tipo de contaminação.

Relativamente aos componentes, nomeadamente os níveis de ácido cítrico e do benzoato de sódio, o vice-ministro da Saúde assegurou que estão dentro do preconizado nos instrumentos internacionais que regulam o mercado da produção de bebidas.
“Do ponto de vista dos standards internacionais, também usados em Moçambique, não há nenhum problema para o consumo público da Frozy, nem nenhum perigo para a saúde pública”, frisou.

Por sua vez, Ragendra de Sousa, vice-ministro da Indústria e Comércio, indicou que, “como Ministério da Indústria e Comércio estamos satisfeitos com o que vimos. Saímos com a garantia de que a contaminação é quase que impossível, porque o produto tem a qualidade para estar no nosso mercado”.

“Viemos aqui para in loco ver como é que o processo de produção das bebidas da Frozy decorre, em cumprimento da nossa obrigação de proteger o consumidor nacional”, afirmou Ragendra de Sousa, apelando aos consumidores nacionais para “que se sintam à vontade, porque encontramos uma fábrica que não põe em causa a saúde pública”.

Nos últimos dias, as autoridades malawianas ordenaram a retirada das bebidas da marca Frozy do mercado, alegando que o produto não estaria em conformidade com as normas de qualidade exigidas naquele país, por conter altos níveis de ácido cítrico e de benzoato de sódio.

Face a esta situação, a Yaafico Industrial, Lda enviou amostras para serem testadas num conceituado laboratório internacional para análise química, a Merieux NutriSciences, onde se apurou que os níveis de ácido cítrico, das bebidas da Frozy, estão entre 1.050 a 2.550 mg/kg.

O Malawian Bureau Standards (MBS) alegou recentemente que a concentração do ácido cítrico nas bebidas da marca Frozy (substância que tem a função de regular a acidez e acrescentar sabor às bebidas) situa-se entre 2.240 e 5.376 mg/kg, sendo que o padrão máximo permitido para o ácido cítrico no Malawi é de 3.000 mg/kg.

Relativamente ao benzoato de sódio, o máximo permitido no Malawi é de 1.000 mg/ kg, mas, segundo o MBS, os refrigerantes da marca Frozy registam níveis que supostamente variam entre 3.248 e 4.256 mg/kg. Entretanto, os resultados apurados pela Merieux NutriSciences apontam para níveis abaixo de 300 mg/kg.

Consta, igualmente, das constatações da SwissLab, o primeiro laboratório privado em Moçambique orientado para análises químicas e microbiológicas de controlo de qualidade, e do LNHAA que os níveis de ácido cítrico e benzoato de sódio de ambos laboratórios estão dentro dos padrões permitidos.

“Todos os nossos sabores também foram submetidos a análises microbianas pela Sanas Merieux e os resultados mostram que os refrigerantes da Frozy estão livres de qualquer contaminação microbiana e são adequados para consumo humano”, assegurou Rossana Sadula, administradora da Yaafico Industrial, Lda., acrescentando ainda que todos os pontos acima mencionados são uma prova inequívoca de que as alegações do MBS estão incorrectas e imprecisas.

Importa realçar que a Promigen, empresa sul-africana que fornece a formula à Yaafico Industrial, Lda é certificada pela ISO 22000, uma norma internacional que define os requisitos de um sistema de gestão de segurança de alimentos abrangendo todas as organizações da cadeia alimentar.
“A Promigen faz auditorias e inspecções regulares para assegurar que os procedimentos de mistura e a receita que eles fornecem, estão a ser seguidos à risca”, concluiu Rossana Sadula.

 

Sector de enchimento dos refrescos Frozy

Sector de enchimento dos refrescos Frozy

 

Armazenamento dos refrescos Frozy

Armazenamento dos refrescos Frozy

 

Mouzinho Saíde Vice Ministro da Saúde

Mouzinho Saíde Vice Ministro da Saúde

 

Ragendra de Sousa Vice Ministro da Indústria e Comércio

Ragendra de Sousa Vice Ministro da Indústria e Comércio

 

Rossana Sadula Administradora da Yaafico Industrial

Rossana Sadula Administradora da Yaafico Industrial

 

Visita do Vice Ministro do MIC e MISAU à fabrica da Frozy

Visita do Vice Ministro do MIC e MISAU à fabrica da Frozy

 

Visita do Vice Ministro do MIC e MISAU à fabrica da Frozy 1

Visita do Vice Ministro do MIC e MISAU à fabrica da Frozy

 

Refrescos Frozy

Refrescos Frozy