• pt
Nova sede do Standard Bank inaugurada pelo PR Armando Emilio Guebuza
Pelos projectos financiados em 2013, que superaram os 350 milhões USD: Standard Bank nomeado “Melhor Banco de Investimento em Moçambique”
20/10/2014
Mesa que presidiu o lançamento do curso de Mestrado em Formação de Formadores em Gestão e Administração em Saúde
Formação de Formadores em Gestão e Administração em Saúde: Politécnica lança mestrado
23/10/2014

Salários reduzidos e falta de um quadro docente qualificado: Identificados principais constrangimentos no ensino superior

politecnica

Os salários reduzidos e a falta de um quadro docente qualificado são alguns dos factores que estão por detrás da fraca qualidade do ensino no País, com destaque para o superior, que, apesar do surgimento de novas universidades, ainda está longe de satisfazer as necessidades do mercado.
Quem assim o diz é Rafael Chadreque, especialista em ciências de educação, autor do estudo intitulado “Mecanismos de Avalização do Ensino Superior: Que Contribuição para a Melhoria da Qualidade?”, apresentado esta terça-feira, 21 de Outubro, no âmbito do ciclo de palestras promovido pela Universidade Politécnica.

Segundo o autor, para além destes dois itens, há outros constrangimentos que devem ser tidos em conta, nomeadamente a falta de bibliotecas apetrechadas, a precariedade do sistema de transportes, entre outros.

“Fala-se da qualidade de educação, mas devemos falar da estrutura do País. Se não temos bibliotecas apetrechadas, não temos transporte para o estudante se deslocar em condições ou estudar até altas horas da noite não podemos ter qualidade. Há transformações que devem ocorrer no sistema global, porque a educação não é um ninho”, refere o orador.

Em relação aos docentes, Rafael Chadreque entende que mais do que exigir que estes tenham uma formação adequada, há que melhorar as suas condições de trabalho, em particular o salário.

“Temos, por um lado, muitas universidades e poucos docentes e isso faz com que os que existem se desdobrem em várias actividades, o que contribui para o seu fraco desempenho. Por outro, os docentes auferem salários reduzidos, o sistema de progressões na carreira é deficitário, não têm assistência médica e medicamentosa, etc.”, explicou.

O orador considera que “temos de olhar para a qualidade do ensino, tendo em conta o desenvolvimento económico e social do País e fazendo comparações com outros sistemas próximos ao nosso”.

“No geral, o sistema de ensino superior em Moçambique está em construção e, apesar disso, tem aspectos muito positivos, tais como como universidades pioneiras e exemplares. Porém, existem outras problemáticas, o que constitui um desafio. Há uma preocupação por parte dos organismos de tutela em reforçar as capacidades institucionais para que as universidades preencham os pré-requisitos exigidos, nomeadamente em termos dos docentes, que devem ter no mínimo o nível de mestrado”, acrescenta.

Refira-se que o ciclo de palestras da Universidade Politécnica, que termina na próxima sexta-feira, 24 de Outubro, visa, segundo Alberto Razul, director adjunto Científico e Pedagógico, colocar os estudantes em contacto com especialistas de diversas áreas de conhecimento leccionadas naquela instituição de ensino superior e ocorre em semestres pares do ano lectivo.

 

politecnica