• pt
Parte frontal do Standard Bank reabilitado 1
Mais espaço e melhor atendimento: Reinaugurado balcão do Standard Bank na Praça da OMM
28/11/2014
Cremildo de Caifaz - músico moçambicano
Verão Amarelo: Cremildo de Caifaz regressa a casa para apresentar “Ciconia Ciconia”
04/12/2014

Standard Bank participa em transacção significativa no sector do gás

Andre Du Plessis - Director da Banca Corporativa e de Investimentos do Standard Bank

O Standard Bank propõe-se a disponibilizar as suas capacidades para impulsionar e estruturar operações complexas, nos projectos de desenvolvimento do sector do gás em Moçambique, prestando aconselhamento comercial e assistência no aproveitamento do potencial de gás nacional, que excede os 100 Tcf, apenas na Bacia do Rovuma.
Este compromisso foi expresso, esta quarta-feira, pelo director da Banca Corporativa e de Investimentos do Standard Bank, Andre du Plessis, à margem da 2ª Cimeira do Gás de Moçambique, que reúne, na capital do País, os principais líderes mundiais da indústria do gás natural, incluindo investidores, distribuidores, compradores e representantes de governos.

“Estamos a participar numa transacção significativa no sector do gás, em Moçambique, para além do nosso envolvimento contínuo no projecto GNL-Gás Natural Liquifeito, no seguimento do Estudo Macroeconómico do Standard Bank recentemente publicado”, referiu Andre du Plessis.

O referido Estudo Macro-económico sobre o GNL salienta os elevados benefícios para o País, incluindo empregos, receitas e industrialização, demonstrando que Moçambique poderá obter receitas acima de 200 mil milhões de dólares ao longo da vida útil do projecto e aproveitar um nível considerável de ligações empresariais a jusante, tais como electricidade, fertilizantes e petroquímicos, e assim impulsionar a industrialização, por via da utilização doméstica do gás.

A contribuição do Standard Bank no sector do gás no País, conforme realçou Andre du Plessis, inclui a assessoria e/ou financiamento à central de eléctrica alimentada a gás Gigawatt, à Matola Gas Company, à CMG-Companhia Moçambicana de Gasoduto e à CMH – Companhia Moçambicana de Hidrocarbonetos.

Por seu turno, Ronaldo Toledo, director da Banca de Investimentos do Standard Bank, assegurou que “o Banco é capaz de ligar a sua rede e conhecimento especializado dentro do País às suas capacidades de financiamento e assessoria, ao nível dos seus escritórios nos principais centros globais e regionais, incluindo Nova Iorque, Londres, Joanesburgo e Pequim, de modo a contribuir para o desenvolvimento do sector do gás.”

Ronaldo Toledo, afirmou ainda que “a experiência deste Banco nos países africanos com petróleo e gás, tais como a Nigéria e Angola, poderá ser utilizada para fornecer o aconselhamento chave ao nível de políticas e de comercialização, de modo a que os potenciais projectos moçambicanos possam proporcionar o máximo de benefícios para o País.”

Importa referir que a 2ª Cimeira do Gás de Moçambique decorre numa altura, em que o Governo acaba de lançar o 5º concurso para a concessão de 15 blocos para a pesquisa e produção de hidrocarbonetos nas áreas de Temane, Palmeiras, Angoche, Delta do Zambeze e na Bacia do Rovuma.

 

Andre Du Plessis - Director da Banca Corporativa e de Investimentos do Standard Bank

Andre Du Plessis – Director da Banca Corporativa e de Investimentos do Standard Bank

 

Ronaldo Toledo - Director da Banca de Investimentos do Standard Bank

Ronaldo Toledo – Director da Banca de Investimentos do Standard Bank

 

Convidados que presidiram a abertura da Cimeira Mozambique Gas Summit

Convidados que presidiram a abertura da Cimeira Mozambique Gas Summit

 

Participantes a Cimeira Mozambique Gas Summit 1

Participantes a Cimeira Mozambique Gas Summit

 

Participantes na Cimeira Mozambique Gas Summit

Participantes a Cimeira Mozambique Gas Summit