• pt
mcel2
Com o apoio da mcel: Empresa moçambicana de tecnologia ganha prémio internacional
03/03/2016
Mesa que presidiu o seminário sobre jornalismo universitário Linguagem como factor identitário
Politécnica Rádio celebra três anos de existência
03/03/2016

Telecomunicações: Malawi satisfeita com os serviços prestados pela TDM

tdm

Uma delegação da empresa Telecomunicações de Moçambique (TDM), integrando o Presidente do Conselho de Administração, Virgílio Ferrão, e o Administrador Delegado, Mamudo Ibraimo, trabalhou, recentemente, em Blantyre, com a sua congénere do Malawi, a Malawi Telecommunications Limited (MTL), cuja delegação era constituída por Pius Mulipa, Presidente do Conselho de Directores, Harry Gombachika, CEO, dentre outros quadros seniores daquela empresa.
Os encontros de trabalho realizados visavam a avaliação do estágio da cooperação entre as duas empresas, bem como a aferição do estado da qualidade de serviços de telecomunicações de trânsito e de Internet que são prestados pela TDM à MTL.
A contraparte malawiana manifestou, na ocasião, a sua “satisfação pelo nível de qualidade e conectividade dos serviços” prestados pela sua congénere moçambicana, anotando que, mesmo “nos casos em que há cortes da fibra óptica, a fluidez das comunicações é imediatamente reposta, dado que as equipas das duas empresas trabalham em permanente e estreita coordenação”.
A frequência dos cortes que se têm verificado nos circuitos para o Malawi são em média os mesmos que acontecem aos utentes em Moçambique, contudo os seus efeitos têm sido mitigados pela pronta activação de rotas e sistemas de redundância, o que faz com o fluxo das comunicações seja reposto num curto espaço de tempo. Note-se que as comunicações para o Malawi são garantidas através de dois pontos geográficos em Moçambique, designadamente um ponto de entrada em Zóbue, na província de Tete, e outro em Milanje, na província da Zambézia.
As duas partes comprometeram-se a estreitar, cada vez mais, as suas relações de cooperação através de encontros técnicos e de alto nível periódicos, com vista a melhor servirem os utilizadores de ambos países e internacionais.
De referir que Moçambique, através da TDM, serve de elo de trânsito das comunicações de voz, dados e de Internet para os países do “hinterland”, nomeadamente a Suazilândia, Zimbabwe e Malawi, estando em curso conversações visando estabelecer acordos similares com operadores de telecomunicações da Zâmbia e da Tanzânia, o que permitirá igualmente a activação de ligações destes países aos dois cabos internacionais de telecomunicações que têm os pontos de amarração em Maputo, a SEACOM e o EASSy.

 

 

tdm