• pt
Emprego Jovem
Emprego jovem dispõe de 200 biliões de dólares norte-americanos
27/02/2018
Vitória Diogo ministra do Trabalho Emprego e Segurança Social 1
Vitória Diogo participa na reunião dos Ministros do Trabalho da SADC
28/02/2018

Tertúlias Itinerantes: Retomados debates sobre a interculturalidade

Sara Laísse Co Coordenadora

Com o propósito de promover o debate sobre a interculturalidade e o desconhecimento mútuo no contexto da era global, arrancou na última terça-feira, 27 de Fevereiro, em Maputo, o 3º ciclo de debates académicos designados por Tertúlias Itinerantes – 2018.

 

Esta iniciativa, que irá decorrer até Novembro deste ano, com a apresentação e discussão de 10 sub-temas, sendo um por cada mês, irá escalar diversos lugares da capital do País, tal como avançou Sara Laisse, co-coordenadora das Tertúlias Itinerantes e docente na Universidade Politécnica.

 

Conforme assegurou, o propósito das Tertúlias Itinerantes deste ano é o de dar continuidade ao diálogo em torno da interculturalidade, o tema geral desta iniciativa e que vem sendo discutido, desde a primeira edição em 2016: “No presente ano, não só alargamos o leque de oradores, como também diversificamos as áreas de especialidade dos académicos que irão abordar os sub-temas”.

 

No tocante aos locais onde irão decorrer os debates, Sara Laisse avançou que os mesmos foram diversificados, visto que “queremos levar a discussão do tema geral para diferentes lugares e públicos da cidade de Maputo, uma forma encontrada de integrar mais a comunidade, para que possa ajudar a disseminar o princípio do diálogo intercultural, visto que este debate não se deve limitar aos teóricos e pensadores, dentro das universidades”.

 

Eduardo Lichuge, co-coordenador e docente na Escola de Comunicação e Artes, da Universidade Eduardo Mondlane, explicou, por sua vez, que a decisão da realização desta 3ª edição prende-se com a aceitação do público, bem como com a qualidade dos debates anteriores: “Para nós, é sempre bom ter uma casa cheia. A partir das Tertúlias passadas, entendemos que estávamos a fidelizar o público, visto que tínhamos um público leal ao programa, facto que nos estimulou bastante a continuarmos com este evento”, disse. Falando, especificamente, sobre a edição do ano passado, Eduardo Lichuge assegurou que foi muito bem conseguida. “As participações sempre foram de encontro com as nossas expectativas e esperamos que esta edição, a de 2018, seja ainda melhor”, manifestou.

 

Entretanto, o orador da 1ª sessão desta 3ª edição, o especialista em Física Biomédica, Mário Forjaz Secca, abordou o tema “Dissonâncias Culturais: O confronto científico e humanista e o confronto europeu e africano”.

 

Falou sobre a existência de um confronto clássico entre a cultura científica e a cultura humanista. Referiu, na sua abordagem, ter achado que “havia um paralelo neste confronto entre a cultura europeia e a africana porque, normalmente, a cultura europeia se defende como a garante das ciências, da tecnologia, sendo responsável pela mudança tecnológica do mundo, e criticando, por vezes, África, por alegadamente ser um continente pouco tecnológico sendo, por isso, mais humanista”.

 

“Mas o que se passa, na verdade, é que este conflito já existe dentro da própria Europa, entre a cultura científica muito racional e a cultura poética humanista. Ou seja, estão a transferir um conflito existente no continente europeu, fazendo as pessoas pensarem que se trata de um confronto entre culturas de dois continentes”, argumentou.

 

Na sua apresentação, Mário Forjaz Secca chegou à conclusão de que os conflitos existem por todo o lado: “A única solução existente, quando há mistura de culturas, é as pessoas fazerem pontes, dialogarem abertamente, assumindo que há sempre diferenças e diversidades culturais. Todos nós temos um pouco da cultura do outro, por exemplo, a cultura científica tem um pouco de cultura humanista e vice-versa”, concluiu.

Importa referir que as Tertúlias Itinerantes decorrem sob o lema “Fluxos de comunicação intercultural no espaço de língua portuguesa: debater o desconhecimento mútuo no contexto da era global”. Esta iniciativa académica é coordenada, para além dos docentes mencionados, também por Lurdes Macedo, da Universidade Lusófona, de Portugal.

 

Esta primeira sessão teve lugar no anfiteatro da Biblioteca Central da Universidade Politécnica.

 

Sara Laísse Co Coordenadora

Sara Laísse Co Coordenadora

 

Mário Forjaz Secca Orador

Mário Forjaz Secca Orador

 

Eduardo Lichuge Co Coordenador

Eduardo Lichuge Co Coordenador

 

Participantes

Participantes