• pt
Acto de assinatura do memorando
mcel passa a conceder benefícios a mais de 1.400 advogados inscritos na Ordem
11/02/2016
logo apagar2
Com início esta terça-feira, em Maputo:100 personalidades participam na conferência sobre governação corporativa
13/02/2016

Virgília Ferrão: autora de “O Inspector de Xindzimila” inspirou-se em vivências da cultura moçambicana

Virgília Ferrão autora do livro

Foi lançado no princípio da noite da sexta-feira, 12 de Fevereiro, o livro “O Inspector de Xindzimila” da autoria de Virgília Ferrão. O evento teve lugar no Centro Kosmoz, na cidade de Maputo e foi testemunhado por diversos convidados, entre os quais escritores, críticos literários, familiares e amigos da autora desta obra literária.
“O Inspector de Xindzimila”, tal como explicou Virgília Ferrão, é um romance que conta a história de um personagem chamado Dionísio, um inspector da polícia que decidiu regressar às suas origens, sabendo que teria de enfrentar o seu pai e uma antiga mágoa guardada.
O livro, de acordo com a autora, aborda questões ligadas à cultura moçambicana no que diz respeito aos valores familiares em forma de suspense e histórias de amor.
E apesar de “O Inspector de Xindzimila” ser basicamente fictício, Virgília Ferrão não escondeu, por um lado, “que esta obra é baseada nas vivências do dia-a-dia no contexto da cultura moçambicana” e garantiu, por outro, que para o livro se tornar uma realidade “tive de me inspirar bastante no meio em que estou inserida, ou seja, em tudo aquilo que está à minha volta”.
Com esta publicação literária, Virgília Ferrão pretende, como objectivo principal, “tentar expandir aquilo que sei sobre a cultura moçambicana, mormente envolvendo esta parte romântica e investigativa”, conforme revelou durante a cerimónia de lançamento.
“A outra finalidade é a de partilhar detalhes da nossa cultura com os leitores moçambicanos e brasileiros”, acrescentou Virgília, tendo também explicado que escolheu a editora brasileira Selo Jovem como uma estratégia de partilha de aspectos da cultura moçambicana com o povo daquele país latino-americano.
Refira-se que a apresentação da obra “O Inspector de Xindzimila” esteve a cargo de Aurélio Cuna, docente universitário, que no seu discurso recomendou aos presentes a aquisição e a leitura deste livro, na medida em que aborda aspectos ligados às relações familiares, de amizade, de trabalho, do amor, bem como a afirmação da personalidade na ordem social, política, económica e cultural moçambicana.
Ainda sobre o livro, Aurélio Cuna destacou que “uma das leituras possíveis desta romanesca proporciona-nos a emersão às vivências do presente e do passado de Dionísio, o narrador protagonista que a autora cria para nele se refugiar com o propósito de nos oferecer a contemplação das diferentes facetas da vida”.
“O Inspector de Xindzimila” é a segunda obra literária da autoria de Virgília Ferrão, depois de em 2005 ter lançado “O Romeu é Xingondo e a Julieta é Machangana”, com a chancela da Imprensa Universitária de Maputo, sob o pseudónimo de Awaji Malunga.
A cerimónia de lançamento do livro foi também marcada por outros momentos culturais, nomeadamente por música ao vivo e uma exposição com pinturas relacionadas com a obra de Vírgília Ferrão.

 

Virgília Ferrão autora do livro

Virgília Ferrão, autora do livro

 

Capa do livro lançado

Capa do livro “O Inspector de Xindzimila”

 

Aurélio Cuna apresentador do livro

Aurélio Cuna, apresentador do livro

 

Assinatura de autógrafos

Assinatura de autógrafos