• pt
Actividades 2
Da Universidade Politécnica: Juristas e psicólogos apoiam comunidades carenciadas
23/10/2017
Entrega do Guião Genérico da Acção Inspectiva ao Inspector Geral do Trabalho após o lançamento
Lançado “Guião Genérico da Acção Inspectiva-Anotado”
26/10/2017

Visa facilitar colheita de sangue: Plataforma tecnológica “Morelife” vence maratona de programação

Entrega do cheque ao primeiro grupo classificado

A plataforma tecnológica “MoreLife” foi a grande vencedora do hackathon (maratona de programação) do Open Dataton Maputo 2017, uma iniciativa do Conselho Municipal da Cidade de Maputo (CMM), em parceria com o Banco Mundial e o Standard Bank.

A “MoreLife” foi concebida para fazer a ligação entre os centros de saúde e os dadores de sangue, facilitando, assim, a colheita do líquido precioso, principalmente em situações de procura de um tipo específico.

Conforme explicou Paulo Safrão, em representação dos criadores da “MoreLife”, “os dadores de sangue poderão registar-se na aplicação e definir o seu grupo sanguíneo por forma a que, sempre que alguém necessite de sangue, faça uma requisição. Depois disso, ambos dirigem-se a uma unidade sanitária para a respectiva transfusão”.

Na segunda e terceira posições do concurso ficaram as plataformas “SISCOD” e “IMP+”, respectivamente. Enquanto a primeira propõem-se a evitar a dupla atribuição do direito de uso e aproveitamento de terras (DUAT), a segunda pretende eliminar casos de dupla tributação.
À “Maputo Health Care” coube o prémio de honra, atribuído aos melhores empreendedores.

As equipas vencedoras da maratona de mais de 34 horas foram anunciadas, no domingo, 22 de Outubro, na Incubadora do Standard Bank, em Maputo, que vai incubar, durante duas semanas, as quatro plataformas que se destacaram no evento.

Durante esse período, as equipas vão beneficiar-se de todos os recursos logísticos da Incubadora e de acompanhamento de mentores por forma a melhorar as plataformas, com vista à sua exibição final no Dia da Cidade de Maputo.

Para além deste prémio, o primeiro, segundo e terceiro classificados ganharam 65 mil meticais, 40 mil meticais e 25 mil meticais em cursos online, respectivamente.

Intervindo na cerimónia de encerramento da maratona, o director de Planeamento Urbano e Ambiente do CMM, Euclides Rangel, reiterou o desejo da edilidade de alcançar resultados que viabilizem a sua agenda de governação, visando a melhoria dos serviços municipais.

Satisfeito com a participação de cerca de uma centena de jovens na maratona de programação, o que culminou com a apresentação de um total de 17 plataformas, Euclides Rangel assegurou que “há sinais de concepção de soluções tecnológicas que vão trazer maior eficácia e eficiência naquilo que são os serviços públicos prestados, mantendo a nossa edilidade sempre actualizada e moderna”.

Sobre a sua expectativa no tocante à exibição final das plataformas no Dia da Cidade de Maputo, Euclides Rangel assumiu que “o dia 10 de Novembro não será a meta deste exercício, na medida em que o mesmo será permanente e desafiador, por forma a que a gestão municipal continue a crescer e a ser muito mais útil”.

Euclides Rangel aproveitou a ocasião para manifestar o desejo de ver o programa de dados abertos replicado em outros municípios do País, depois de a cidade de Maputo ser a pioneira a nível nacional.

Por sua vez, o representante do Standard Bank, Leovigildo Reis, descreveu o Open Dataton Maputo 2017 como um programa de dimensão e importância que transcendem os mais altos valores da partilha de conhecimento, inovação tecnológica e criatividade.

“É com grande satisfação que temos notado, desde o início deste evento, um enorme e activo envolvimento de todos os participantes. É com bastante orgulho que o Standard Bank faz parte desta grande família do Open Dataton Maputo 2017”, manifestou.

Para Leovigildo Reis, o conceito de dados abertos tem revolucionado a forma como as pessoas olham para o mundo em que vivem, sendo através do seu uso devido que as pessoas e organizações tornam-se agentes activos da transformação tecnológica inovativa.

“É com enorme orgulho que olhamos para Moçambique como um exemplo de implementação desta iniciativa, que de certeza contribuirá para a transparência da gestão pública, a disponibilização de serviços inovadores ao cidadão e para a criação de oportunidades viáveis de negócio”, reiterou o representante do Standard Bank.

 

Entrega do cheque ao primeiro grupo classificado

Entrega do cheque ao primeiro grupo classificado

 

Foto de família

Foto de família

 

Leovigildo Reis representante do Standard Bank

Leovigildo Reis representante do Standard Bank

 

Euclides Rangel director de Planeamento Urbano e Ambiente do Conselho Municipal de Maputo

Euclides Rangel director de Planeamento Urbano e Ambiente do Conselho Municipal de Maputo

 

 

 

Paulo Safrão representante do primeiro grupo classificado MoreLife

Paulo Safrão representante do primeiro grupo classificado MoreLife

 

Participantes

Participantes