• pt
Carlos Mesquita ministro dos Transportes e Comunicações 1
Mesquita insiste na necessidade do ramo portuário estar alinhado ao transporte ferroviário
26/04/2018
Crisália Sabonete, oradora da Universidade Politecnica
Docente da Politécnica aponta inclusão digital como principal desafio do ensino remoto
29/09/2020

Agro-Jovem recompensa honestidade e determinação dos empreendedores

Mais de 300 mil meticais para reforço de negócios, entregues a empreendedores que desenvolveram os seus negócios e garantiram a criação de postos de trabalho, cumprindo com as suas obrigações

 

Duas empresas lideradas por jovens, baseadas nas cidades de Nacala e Cuamba receberam da Gapi, um incentivo em forma de“investimento social”num montante que totaliza 320,000.00, por terem bom desempenho e cumprido o contrato de financiamento no âmbito do programa Agro-Jovem.

Estas duas empresas, que, conjuntamente, empregam 20 pessoas das comunidades onde estão inseridas, são pertença de Filomino Gonçalves e Isaías Emiliano e Abdul Buana e Juvêncio Burine, respectivamente. Ambas operam no ramo avícola. A “Mualakhu”,termo que significa galinha em Macua,está no negócio de criação e comercialização de frango de corte; a “VetService” presta serviços de formação e apoio a criadores e venda de ração para cães e aves.

“Este valor vai fazer com que consigamos adquirir mais produtos, remédios e ração dos animais, e expandir ainda mais os nossos serviços na província de Nampula. Estamos gratos por este prémio que é um reconhecimento por termos conseguido honrar com o financiamento” – declara  o co-proprietário da Vet Service, Isaías Emiliano.

Sempre quisemos produzir mais. Há muita procura do nosso frango.Com este prémio vai ser possível aumentar o espaço e a produção em quase 50% daquilo que vínhamos fazendo. Isso vai sem dúvida criar mais ganhos para todos nós.” – teceu, por seu turno Abdul Buana, sócio da Mualakhu.

O instrumento de “investimento social” faz parte de um incentivo concebido pela Gapi-SI no âmbito do Agro-Jovem, que prevê a devolução aos beneficiários de uma parte do valor do capital financiado e reembolsado. São elegíveis os empreendedores que apresentem bom desempenho nos seus negócios e cumpram com o contrato de financiamento.

“Estes são dois exemplos claros da importância de implementar projectos com uma abordagem que combine financiamento com assistência técnica em mentoria e orientação na gestão de negócios. Quando se é jovem e se começa um negócio as dificuldades, barreiras e riscos são enormes. Precisam deste tipo de apoio e metodologia de assistência que a Gapi disponibiliza nos seus programas.” – afirmou Edwina Ferro, coordenadora do programa Agro-Jovem.

“ Através do exemplo destes empreendedores – concluiu Edwina – , os outros jovens percebam que no nosso país existem muitas oportunidades e com o apoio de instituições com experiência em identificar e promover o potencial de criatividade, inovação, mas também determinação que neles existe, são capazes de organizar o seu futuro. Também mostramos aos nossos parceiros, incluindo o Governo, que este jovens estão activamente a contribuir para o desenvolvimento do país.”

O Agro-Jovem é um programa financiado pela Danida e lançado pelo Chefe do Estado em 2015, com o objectivo de apoiar as instituições de ensino a estimular o empreendedorismo no seio dos jovens recém-formados em matérias relevantes para o desenvolvimento de negócios com impacto positivo na segurança alimentar.

Até finais de Agosto e além de actividades de formação abrangendo cerca de 2500 jovens técnicos envolvendo 20 instituições de ensino,o programa financiou 265  empreendedores em todo país num montante da ordem de um milhão de dólares. Cerca de 40 por cento dos beneficiários operam nas províncias de Cabo Delgado, Niassa e Nampula.